ViVeR pArA sEmPrE!

              Image hosted by Photobucket.com

terça-feira, novembro 14, 2006



"Para o meu amor..."





Meu querido amor,

Meu amor, sinto tant´inho a tua falta!
Sem ti, não conseguirei viver
Sem ti, a minha cabeça estaria vazia
Sem ti, oh, meu amor, seria difícil!
És uma pessoa
Maravilhosa,
Linda
Carinhosa!
Cativada por ti, és especial, és
Como o ursinho,
Como o campo cheio de flores, de animais felizes,
Como o homem gigante com o coração enormíssimo!
Meu amor, sinto tant´inho a tua falta!
Do teu abraço,
Do teu olhar,
Do teu sentimento,
Do teu sorriso,…
Meu homenzinho,
A tua menina chatinha nunca te perderá,
Oh, meu amor,
És tão lindo no
Exterior e interior!
Tenho memória da tua imagem!
Lindo, lindo, lindo
Como sempre!
Ai, meu doce,
Lutaste tanto por mim
E agora sou tua!
Meu amor,
AMO- TE TANTINHO!

PS.- És a minha alma gémea!

Andreia Almeida=)




segunda-feira, outubro 30, 2006



"Maus tratos na infância..."





Os meninos são como uma planta a crescer… Tão lindos, tão indefesos. Por isso mesmo, hoje quero escrever sobre os maus tratos que muitas crianças sofrem, porque quero chamar-vos a atenção, porque gostava que parassem de tratar mal as nossas bonitas crianças… O meu coração chora quando vê meninos sofridos, a sofrerem pelos maus tratos… E são maltratadas de tantas diferentes maneiras. Por adultos insensíveis, muitos deles familiares próximos, às vezes os próprios pais. São espancados, abandonados. Vemos tantas crianças pelas ruas, mal vestidas, mal alimentadas. Nos olhos, nos gestos têm dor e medo.
Mesmo em alguns infantários... E os pais para poderem ir trabalhar e ganhar dinheiro precisam de deixar os filhos em infantários, em creches... Não percebo algumas educadoras de infância (nem todas, claro!) pois escolheram como profissão lidar com meninos, cuidar deles e acabam por tratar mal os pequeninos, porque ficam fartas de os ouvir chorar, das suas birras, de lhes mudar as fraldas, de os embalarem. Não percebem que eles choram porque querem chamar a atenção, porque gritam por carinho, porque têm fome, porque têm a fralda molhada, porque querem mimos, brincar, jogar, correr, dormir, …
Uma vez, vi na televisão que uma educadora batia muito nos órfãos, porque estava farta de os ouvir chorar. E eu chorei… chorei mesmo!!! Pobres criancinhas, sem família e ainda a levarem tareia.
A mim dá-me vontade de chorar quando vejo as minhas brilhantes crianças. Até quando vou na rua, quando vejo os meninos lindos, emociono-me sempre, não sei porquê… Porque adoro as crianças…
Já chega, não quero dizer mais coisas sobre os maus tratos... As crianças para mim são como os anjos, ouviram? Os meninos não têm culpa nenhuma, estão a aprender a conhecer o mundo, estão a crescer, apenas… Como serão estas crianças quando forem grandes? Vão guardar um grande trauma da infância? Imagino que sim! E que grande dor tenho!

No seu poema "Liberdade", Fernando Pessoa escreve "Mas o melhor do mundo são as crianças". Tão verdade, não concordam?

Adoro-vos, crianças do mundo!


AndreiaAlmeida=)




quinta-feira, outubro 19, 2006



"Na vida, nada podemos, nada decidimos. Tudo está traçado".





Nós podemos lutar pelo que queremos ser e mostrarmos quem somos? Não sei. Sonhamos em grande, lutamos para conseguir concretizar o nosso sonho; mas, tantas vezes, em nada realizamos o nosso sonho…

Sonhar ao máximo é bom e não é bom. Nós adorávamos fazer tudo o que quiséssemos, mas não podemos por causa do dinheiro, do emprego, da saúde… O emprego, por exemplo, eu sonhava ser professora de meninos surdos, porém não posso continuar com este meu sonho, porque já há muitas pessoas nas faculdades a aprenderem a língua gestual portuguesa com a ideia de se tornarem professores de surdos. E agora? O que vou seguir? Que caminho percorrer para alicerçar o meu futuro? Não sei nada…nada… Há milhares de pessoas desempregadas, outras em risco de perderem o emprego. A vida difícil, as contas para pagar, os filhos para alimentar, vestir, educar, as prestações ao fim do mês… algumas a passaram fome! Era bom sermos mágicos para termos o que desejamos, certo?

O nosso quotidiano, o dos jovens da minha geração, é estudar, preocuparmo-nos, lutar, etc… mas o nosso futuro onde está? Como vai ser? Que perspectivas reais temos?

Bem queríamos ter a casinha ideal, um emprego bom, uns filhos maravilhosos, chegar a idosos sem problemas de maior e morremos em paz. Mas… Raramente acontece! O nosso destino é a luta, o sofrimento! Certo que há pessoas com boa vida, mas são bem poucas as que o conseguem graças aos seus próprios méritos, graças ao seu trabalho, graças ao seu esforço. A maior parte desses poucos felizardos têm uma boa árvore de família…têm mais isto e mais aquilo…


Não sei se temos ou não capacidade de decidir. Não sei se quando nascemos já tudo está traçado, escolhido, decidido. Sei é que no fundo, gostávamos de ser feiticeiros! De, com uma poção mágica, alcançarmos o infinito.

AndreiaAlmeida=)





quarta-feira, outubro 11, 2006



" A flor mais bela..."






Vou contar uma história emocionante da minha vida...

A minha avó esteve internada no hospital, mas o meu avô não sabia que era grave, porque pensava que ela estava só a fazer exames de rotina.
Mas, passados uns dias, o avô começou a ficar preocupado, desconfiado e até mesmo adoentado.
Uma noite...
Nessa noite, escura, de muita chuva, o avô estava sozinho em casa e só pensava e pensava e pensava na mulher, na minha avó.
De súbito, não aguentou mais... decidiu sair de casa apenas com duas coisas na mão: uma laterna e um guarda-chuva. (esqueci de vos dizer que o meu avô mora no Norte numa pequena aldeia).
Andou... andou... andou... e foi até ao jardim...
O avô sempre com o pensamento na avó quando, de repente, olhou e viu uma planta muito brilhante, muito viçosa, com uma flor linda, linda. Mesmo em noite chuvosa, brilhava tanto!
Aí, sem sequer reflectiu duas vezes, decidiu levá-la. Dirigiu-se à planta e... arrancou-a pela raiz.
Logo em seguida, voltou para casa e colocou a planta na terra, enquanto enterrava as raízes, o avô disse estas palavras:
-É para ti, mulher da minha vida! Volta para a casa, preciso de ti...
Felizmente, no dia seguinte, a avó voltou para casa, já estava melhor.

Graças, meu avô!

Querida avó, vê, vê... o avô, às vezes, é muito chatinho, mas gosta muito de si! Ama-a de verdade!

O que acham? Eu emocionei-me tanto quando a minha tia me contou... As lágrimas rolaram...imparáveis...
Antes, nunca havia pensado nos sentimentos dos avós, agora, penso que são mais românticos do que muitos jovens de hoje.

Andreia Almeida =)


Ps. Amigos, desculpem esta longa ausência, mas, vocês sabem!- nas férias nunca há muito tempo livre :=)




terça-feira, junho 20, 2006






Obrigadissimo, meu querido mano!!!

Beijinhos para todos...


terça-feira, junho 06, 2006



Rute… Minha saudade eterna!









São os desenhos que fiz quando era pequena, claro…



Aos 9 anos, partiste para tão longe... Não resististe a mais um ataque de epilepsia...

Eu, ali ao teu lado, tão impotente, tão sem préstimo para te ajudar, querida amiga...

Tantos anos já passaram, ainda não aceito. Porquê? Porquê? Porquê? Quantas vezes faço a pergunta, mas nunca encontro a resposta.

Moras no meu coração. No meu cofre secreto. A chave, essa, engoli-a. Ninguém ma roubará. Nunca, amiga querida.

Falo contigo, desabafo contigo, conto-te as minhas coisas... Por vezes, até parece que ouço a tua voz a acalmar-me, a tranquilizar-me, a dar-me força para eu vencer nas imensas dificuldades da vida.

Rute, gostava tanto de ver, de falar com a tua mãe... Como conseguir? Podes também ajudar-me na concretização deste meu desejo?

Amo-te, amiga.

Beijo.




quinta-feira, junho 01, 2006



Dia Mundial da Criança





Fernando Pessoa é que sabe!


o melhor do mundo são as crianças


Infelizmente, Soeiro Pereira Gomes continua actual - era bom que nos lembrássemos, hoje , dia mundial da criança -, mas também em todos os outros dias do ano que há

os filhos dos homens que nunca [são] meninos


PS. : - lembram-se ainda do meu poema "As fases da Lua"? ;)

Ah! Desculpem a minha ausência...